O futuro da busca mobile pode estar no deslizar e não no clicar

Share:
google_mobile-header

O Search News Brasil traz esse artigo traduzido com autorização do seu criador AJ Khon, nele AJ traz uma possibilidade interessante, será que o futuro das buscas móveis esta no deslizar e não no clicar? Não sabemos se esse futuro pode se concretizar, mas que faz sentido faz.

E se eu lhe disser que o futuro da busca móvel será deslizando?

Não estou dizendo que terá alguns “carrosséis” de conteúdo. Em vez disso, quero dizer que todo o conteúdo será exibido em uma interface deslizante horizontal. Você não vai clicar em um resultado de pesquisa, você simplesmente vai deslizar de um resultado para o próximo.

Isto pode parecer improvável, mas evidências sobre isso estão crescendo e pode ser o “finalmente” para o Google. A “tinderização” de busca móvel pode estar logo na esquina.

Interface Horizontal

O Google tem jogado com interfaces horizontais em busca móvel há algum tempo. Você pode encontrar isso em certos perfis do Twitter.

google-twitter-carousel

Um exemplo de vídeos.

google-video-carousel

Um exemplo para receitas.

google-recipe-carousel

Há um monte de outros exemplos. Mas o mais importante é o para AMP.

google-AMP-carousel

A razão pela qual o exemplo AMP é tão importante é que o AMP já não será, por muito mais tempo, servido apenas em um carrossel, mas estará disponível para qualquer resultado de pesquisa orgânica.

Mas você precisa saber como o Google vai entregar este tipo de interface carrossel AMP com o conteúdo AMP espalhado por todos os resultados. (Eles já fazem referência a interface como o “AMP espectador”.)

E se você pudesse simplesmente deslizar entre os resultados AMP? A interface atual já permite fazer isso.

google-amp-swipe

Uma vez que o AMP é borrifado através de todos os resultados não seria mais fácil deslizar entre os resultados AMP já que você já estava nesse ambiente? Eles já têm o elemento de pontos de navegação para indicar onde você está na ordem dos resultados.

Eu sei, eu sei, você está pensando sobre o quão ruim isso poderia ser para o conteúdo não-AMP, mas deixe-me contar um segredo. Os usuários não vão se importar e nem o Google.

A experiência do usuário supera os publishers (editores), que se lamentam o tempo todo.

No final, em vez de criar um carrossel para os links, o Google pode criar um carrossel para o conteúdo propriamente dito.

AMP

amp-project-e1472494960679

Para aqueles que não sabem o que quer dizer esse acrônimo, AMP significa páginas móveis aceleradas (Accelerated Mobile Pages). É uma iniciativa do Google para criar disponibilidade quase instantânea de conteúdo no celular.

A maneira como eles fazem isso é por ter editores que criam páginas muito leves e, em seguida, ocultam eles nos servidores do Google. Então, quando você clica em um desses resultados AMP você está recebendo essencialmente a versão em cache da página direto do Google.

A iniciativa AMP é de forma geral sobre velocidade. Se a web móvel é mais rápida, isso contribui (não tanto) com o plano mal do Google. Isso também tem um interessante… efeito colateral.

Google poderia sediar a Internet móvel.

Isso é tanto surpreendente e um pouco assustador. Quando cada parte do conteúdo em um resultado de pesquisa é uma página AMP, o Google pode essencialmente acolher esse resultado móvel na sua totalidade.

A primeira AMP foi apenas para conteúdo de notícias, mas a partir de hoje o Google está se preparando para criar conteúdo AMP para tudo, incluindo e-commerce. Portanto, a ideia de uma interface toda AMP não parece fora de questão.

Deslize, não cliques.

 

no-clicks-icon-e1472495134977

 

Por que fazer os usuários clicar se cada resultado da pesquisa é uma página AMP? Sério! Pense nisso.

O Google está obcecado com a redução do tempo de longo clique, com a quantidade de tempo que leva para trazer aos usuários um resultado satisfatório. Que melhor maneira de fazer isso do que remover o desgaste de clicar para trás e para frente em cada site.

Sem mais blue links.

Por que fazer os usuários clicarem quando você pode indicar esse conteúdo imediatamente? O Google tem isso! Em seguida, os usuários podem simplesmente deslizar para o próximo resultado, e no próximo, e no próximo e no próximo. Eles podem até mesmo ir e voltar desta forma até encontrar um resultado que desejam se aprofundar mais.

Deslizar por meio do conteúdo seria um afastamento radical da interface de pesquisa tradicional, mas seria muito mais rápido e mais conveniente.

Isso iria trabalhar com os outros inúmeros elementos que trazem informações futuras no processo de pesquisa, como painéis de conhecimento e Oneboxes. O Dr. Pete Meyers mostrou como alguns desses “cartões” poderiam se encaixar. Mas eles funcionariam igualmente bem em um ambiente de deslizar.

O quão melhor isso poderia ser para a procura de um produto e deslizar através das ofertas daqueles que aparecem nos resultados de busca?

As novas métricas de sucesso

head-spinning-e1472496588685

 

Se este é o lugar onde a web móvel é dirigida então o jogo vai mudar completamente. O sucesso não será tão amarrado em rankear. Quando você remove o desgaste de clicar, o número de “vistas” de cada resultado será muito maior.

A distribuição normal de cliques pesados irá desaparecer para ser substituída por uma distribuição mais uniforme de visualização dos 3-5 melhores resultados. Estou assumindo que a maioria dos usuários vai deslizar pelo menos três vezes, se não mais, mas haverá uma severa queda depois disso.

Quando um usuário desliza no seu resultado, você ainda vai receber crédito pela visita através da implementação do Google Analytics ou de um outro pacote de análise. Mas os usuários não estão realmente em seu site a esse ponto. É somente quando eles clicarem nesse resultado AMP que eles chegam em seu ambiente móvel.

Assim, a nova métrica para o sucesso de busca móvel pode ser levar os usuários a parar no seu resultado e, de forma otimizada, clicar no seu site. É isso mesmo, o engajamento poderia ser a métrica mais importante. Não seria isso criar essencialmente um alinhamento entre os usuários, o Google e os editores?

O engraçado é que o Google acaba de lançar a capacidade de fazer o teste A / B para páginas AMP. Eles já estão pensando sobre o quão importante vai ser ajudar os editores a otimizar para o engajamento.

Publicidade ou realidade?

bohemian-rhapsody-e1472499605365

O Google, como primeira empresa de telefonia móvel, está fazendo de tudo para reduzir a distância entre pesquisa e informação. Eu não acho que esta é uma declaração controversa. A questão é até que ponto o Google está disposto a ir para encurtar essa distância.

Estou juntando as peças aqui, desde as interfaces horizontais, até a AMP e a obsessão do Google com velocidade para chegar a esta visão avançada de busca móvel.

Eu acho que está no reino da possibilidade, particularmente, desde o crescimento das áreas do Google que estão em países fora dos EUA, onde móvel é muito mais dominante e onde a velocidade pode às vezes ser um desafio.

TL; DR

Quando cada resultado da pesquisa é uma página AMP há pouca razão para os usuários clicarem em um resultado para ver esse conteúdo. Caso o projeto AMP do Google prospere, o futuro da busca móvel pode muito bem ser o deslizar de conteúdos e o fim do blue link.

Artigo Original: http://www.blindfiveyearold.com/the-future-of-mobile-search

Rafael de Souza

Rafael de Souza

Meu nome é Rafael Faria de Souza, tenho formação em administração de empresas e tecnologia em sistemas para internet, atuo na área de tecnologia e internet desde 2005.Iniciei meus trabalhos na área com desenvolvimento de sites e em seguida me aprofundei nos estudos de links patrocinados e SEO.

Mais artigos - Website

Siga-me:
Facebook

Share:

1 comment

  1. Rodolfo 31 agosto, 2016 at 19:58 Reply

    Na minha humilde opinião isto só vai aumentar a importância do SEO aliado a um bom ctr

    Se antes você tinha como primeira meta o top 10, depois o top 5 e top1

    A partir do momento que isto de deslisar se tornar padrão apenas os top 3 resultados receberão cliques.

Leave a reply

Não vá embora sem curtir nossa fanpage!

Receba as notícias mais quentes do mercado de Search Marketing e Facebook Ads.