Facebook vai mensurar impacto de anúncios nas vendas de lojas físicas

Share:
facebook-atlas

Desde o último verão, o Facebook vem testando uma forma mais precisa de medir as vendas concretizadas a partir de anúncios feitos pelo Atlas. Agora é possível saber se os consumidores de sua loja vieram a partir de anúncios vistos no facebook. As informações são do site Marketing Land (http://marketingland.com/).

Para poder acompanhar os visitantes de anúncios, a marca deve carregar uma lista que contenha os dados sobre operações realizadas em suas lojas, tais como nomes ligados às transações de cartão de crédito ou a cartões fidelidade.

Essas informações serão cruzadas, de forma anônima, com as informações de usuários do facebook que visualizaram o anúncio. As únicas pessoas que o sistema não será capaz de rastrear são as que realizarem pagamentos em dinheiro.

Ao mesmo tempo em que fecha a lacuna nas suas capacidades de veiculação de anúncios, o facebook está ampliando a abrangência de sua medição. “A nossa abordagem não é primeiro e acima de tudo ser um servidor de anúncios e, oh, a propósito, vamos medir isso! A nossa abordagem é resolver o problema da medição e adicionar mais valor, uma vez que, entendemos o valor por meio de veiculação de anúncios”, disse o Vice-presidente de tecnologia de publicidade do Facebook, Brian Boland.

Além disso, agora é possível também usar o Atlas do Facebook para publicar anúncios em vídeo para aplicativos de celulares e desktop. Antes, o facebook contava com a empresa Innovid para oferecer esse tipo de anúncio aos seus clientes, mas não era capaz de fazer para diferentes plataformas. O vídeo ad-serving funcionará apenas para anúncios em vídeo in-stream, como os pre-roll spots que aparecem antes dos vídeos, e não como banners.

Sendo assim, o Atlas permitirá, não apenas mensurar o impacto dos anúncios na vida real, como também, identificar em qual plataforma o comprador viu o anúncio, se foi por meio do celular ou de um computador desktop. Ou seja, a marca poderá ver, por exemplo, se a maioria dos seus eventuais clientes de desktop tinha inicialmente visto os seus anúncios em seus smartphones.

A esperança do Facebook é que esses dados de tendência mostrem aos anunciantes que, mesmo se as pessoas são menos propensas a comprar um produto no celular, isso não significa que verbas de publicidade são

desperdiçadas na tela menor. Afinal, muitos consumidores podem visualizar o anúncio primeiro pelo celular e depois acessar o computador para realizar a compra.

As opiniões e informação contidas neste post não necessariamente refletem a opinião do Search News Brasil, mas sim do autor convidado citado abaixo.

Rafael de Souza

Rafael de Souza

Meu nome é Rafael Faria de Souza, tenho formação em administração de empresas e tecnologia em sistemas para internet, atuo na área de tecnologia e internet desde 2005.Iniciei meus trabalhos na área com desenvolvimento de sites e em seguida me aprofundei nos estudos de links patrocinados e SEO.

Mais artigos - Website

Siga-me:
Facebook

Share:

Leave a reply

Não vá embora sem curtir nossa fanpage!

Receba as notícias mais quentes do mercado de Search Marketing e Facebook Ads.