CTR e Experiência do usuário são fatores de ranqueamento SEO?

341
0
Share:
ctr-ux-fator-de-ranqueamento

Vamos lá pessoal… Mais um vídeo da série sobre fatores de ranqueamento SEO. Hoje vamos falar sobre dois fatores que vem “dando o que falar” nos grupos de discussão, o CTR e a experiência do usuário conhecida também como UX.

Vou gastar um segundinho aqui para explicar uma coisa que não expliquei no vídeo, para aqueles que estão aprendendo SEO, estudamos o CTR como fator de ranqueamento pois este conhecimento leva a nos importarmos mais com as titles e descriptions das páginas, se você tem uma chamada bem atrativa na SERP pode ter um CTR superior ao de seus concorrentes mais bem posicionados podendo assim virar o jogo.

Dica quente: O uso de listas tem ajudado muito, eu já estudei isso! Imagine que você busque “decoração para festa infantil” no Google e o primeiro resultado tem a Title” Saiba como decorar a festa do seu filho” já no segundo você encontra “10 idéias originais para decoração de festa infantil” Cara… Você vai clicar no segundo… Bem mais legal!…Quando o Google perceber que o CTR do segundo colocado é maior que o do primeiro ele vai inverter os resultados colocando o com a chamada mais atrativa na primeira posição. Mas será que é assim mesmo? Será que o CTR é um fator de ranqueamento? Não seja preguiçoso invista esses 20 minutos e assista ao vídeo!

Como sempre, espero que gostem e se gostar, compartilhe  😉

 

 

Links citados:

Teste da Moz que deu certo

Teste publicado no Search Engine Land que não deu certo

Tweet do Gary Illyes falando sobre UX

Segue abaixo uma transcrição livre do conteúdo do vídeo

Bom pessoal, quem ta falando aqui é o Rafael, eu vou gravar mais esse vídeo hoje e ainda falando de fatores de rankeamento. Então, mais um dos videos para a serie de fatores de rankeamento.

Hoje vou falar de um assunto que tem sido uma boa discussão nos fóruns e nos grupos do Face sobre SEO, e que gera bastante polemica e duvida sobre o que é ou não é um fator de rankeamento realmente. Para começar queria falar sobre, justamente, essa questão da discussão, vou dar minha opinião sobre isso e acho que essa discussão que acontece… As vezes é logico que alguém se excede, alguém fala alguma coisa que não esta de acordo com a discussão, mas no normal essas discussões são boas, é importante ter esse tipo de discussão, por que assim que a gente vai evoluir. O mercado muito evoluído nos Estados Unidos ou talvez em outros lugares por que a pessoa discute muito, estuda muito, a pessoa questiona muito por que o Google faz as coisa e por causa disso faz testes e experimentos e assim você vai conseguindo ter um conhecimento mais apurado, mais avançado dos fatores de rankeamnte para você usar suas estrategias, nos seus projetos. Eu sempre digo: estudar fatores de rankemanto é bom. Por que? por que isso faz com que você não perca tempo com coisas que não vão te trazer resultado em ranking que é, pelo menos, o que eu sempre to focando com meus clientes é resultado. Então, por isso é bom a gente entender, estudar pra poder alinhar nossas estrategias de acordo com o que funciona e com o que deixa de funcionar. Eu acho muito saudável essas discussões, elas são boas e vão ajudar nosso mercado a melhorar, então é bacana a gente ter.

No passado a gente não tinha muito essas discussões, tinha alguns gurus que vinham e falavam o que era e o que deixava de ser e acabou, o pessoal não discutia muito. Hoje a gente ta começando a evoluir, tem um vídeo onde eu falo sobre as diferenças, eu acredito, do mercado americano e brasileiro, ta ai no meu canal, e depois se vocês quiserem assistir o vídeo, falo um pouco sobre isso. Eu só queria dizer que eu acho bacana esse tipo de discussão, esse tipo de questionamento, a gente vai evoluir muito se isso continuar. Eu tenho começado já a fazer alguns estudos, ainda não to a ponto de poder divulgar, mas é legal a gente começar a fazer estudos pro Google em lingua portuguesa, por que a maioria de estudos e testes que a gente tem são de fora do Brasil, então até aí se alguém tiver um estudo realmente consistente que quiser divulgar pode falar comigo, eu divulgo no meu blog, mas se tiver um bom *, uma boa documentação desse estudo a gente pode divulgar, uma coisa que a gente ta criando aqui agora.

A gente, vai falar, hoje, sobre dois fatores de rankeamento que geram polemica: um deles é o CTR e o outro é a UX, que é a “experiencia do usuário”. Vamos começar pelo CTR: o que seria isso? CTR? seria o Google usar como fator de rankeamento a taxa de cliques vs a taxa de impressão que você tem. Então se você é exibido cem vezes quando busca um determinado tema, se você é clicado dez vezes, entram no teu site em dez dessas cem vezes que buscaram, vão dizer que você tem uma taxa de CTR de 10%, esse seria o CTR. Se das cem vezes que buscaram, clicaram cinco vezes no seu resultado, você tem 5% de taxa de CTR. Então, o que a gente estuda e é a minha opinião pessoal de que o quanto maior o seu CTR mais o Google vai usar isso como muitos fatores que vai fazer com que você rankeie. Esse é um dos fatores.

Então vamos la para o que a gente tem de declaração do Google, do que a gente tem de fatos. Uma coisa importante saber é o seguinte: a gente vive de migalhas dos representantes, dos * do Google, então o Gary Illyes e o John Mueller, são quem hoje estão dando os sinais oficiais do Google. Outra coisa importante de falar é o seguinte: tem muitas pessoas que não acreditam no que eles falam, não estou dizendo que você tem que acreditar no que eles falam, mas eles hoje é quem estão dizendo o que é e o que não é, então eles dão alguns sinais, vão dando suas migalhinhas, se pronunciam muito por twitter, respondem twittes de algumas pessoas, então isso pode dar alguns sinais para a gente. Não existe ate onde eu sei, se alguém souber pode citar ai, nenhuma declaração oficial do Google em relação a dizer se CTR é ou não um fator de rankeamento. O que existe é alguns estudos que mostram fortemente que isso é uma correlação forte. Umas delas é o estudo da SearchMetrics que tem como, no de 2015 já, top fator de rankeamento o CTR, então dentro dos que eles levantaram isso foi contado como fator extremamente forte de rankeamento, o CTR. Recentemente, alguém do Google falou sobre CTR para Local que realmente o CTR impactava o Local Search, mas isso a gente vai deixar pra falar um outro momento, por enquanto com relação as buscas normais a gente não tem nenhuma declaração oficial sobre isso ainda.

A gente tem conhecidos os dois testes que foram feitos nos EUA a respeito disso. Em março de 2014, o Rand da Moz fez um teste que já vinha se falando sobre isso. Como é que ele fez esse teste? ele fez esse teste em maio de 2014. O que ele fez? ele twittou pedindo para as pessoas buscarem um termo especifico e pedindo para as pessoas clicarem num resultado especifico, ele calcula que mais ou menos por volta de umas 200 pessoas viram o twitte e participaram, por que naquele momento eles tiveram mais ou menos 200 visitas orgânicas naquele artigo, naquele termo especifico que eles queriam rankear, então mais ou menos 200 pessoas participaram do experimento. O que aconteceu foi foi impressionante, eles estavam em sétimo e em questão de três a quatro horas, se não me engano, eles pularam para primeiro, foi um jato, de sétimo para primeiro em algumas horas. Então quais são alguns fatores que eles discutem sobre esse teste? um deles é o CTR ter tido um boom muito grande ao mesmo tempo que muitas dessas buscas aconteceram no momento que ele twittou, então foi um pico muito grande ao mesmo tempo, não foi uma coisa que foi com o passar do tempo, não foi diluído, foi duma vez e também aconteceu de varias partes do mundo diferente, então isso pode ter sido um sinal para o Google de que estava acontecendo uma coisa importante, que aquele resultado era importante, então o Google pegou e jogou ele mais para cima. A base dessa ideia do CTR ser um fator de rankeamento é justamente pelo sinal de que a pessoa diz: olha mesmo esse resultando estando mais para baixo eu prefiro entrar nele, então o Google vai facilitar para você e colocar ele mais para cima. Esse teste da MOZ é bem certo, ele pulou de sétimo para primeiro em poucas horas com esse boom de 200 e poucas pessoas que participaram do teste num dia inteiro. Outro teste que aconteceu mais recentemente, em março de 2015, foi um teste que foi renoticiado pelo pessoal da Search Engine Land, onde uma pessoa fez o teste só que ela usou uma outra metodologia, ela usou através de bots, então ela fez realmente de forma artificial. Por um mês ele gerou 20000 visitas simulando uma busca. Então ele fazia a busca, encontrava o conteúdo, clicava no conteúdo, navegava no site durante um tempo e depois saia, o bot fazia isso automaticamente. Ele fez isso por um mês e ele não teve nenhum resultado, para falar a verdade, ate parece que deu uma piorada no resultado do cara. Esse é o estudo mais recente que esses caras fizeram, diz que não funciona *, depois eu vou colocar o link disso ,em algum lugar, ou no vídeo ou no meu blog, onde eles estão dizendo que o teste que eles fizeram diz que o CTR não influenciou em nada o posicionamento deles. Alguns fatores estão ai, é bem importante entender que, algumas pessoas dizem, existe uma forte tendencia do pessoal a dizer que o Google tem grande habilidade em entender a diferença entre visitas que são feitas por bots e visitas naturais, mesmo por que ele já tem muita habilidade em fazer isso para a questão de evitar os cliques artificiais em Adsense e nesse tipo de coisa. O pessoal diz que ele poderia usar essa tecnologia para poder identificar quando estão tentando simular esse tipo de coisa, principalmente simular CTR. Então la foi totalmente automatizado, aconteceu só de uma região e foi diluído, não foi tudo de uma como o estudo da MOZ. Esses fatores podem ter feito com que não funcionasse o estudo deles, então não deu certo.

O que a gente tem no Brasil de estudo? Que eu poderia citar aqui, que eu conheço são dois estudos. Um que eu não vou chamar de estudo, mas de um Case, foi o do Gugabite. Pra quem é um pouco mais antigo vai lembrar que a Mestre fazia o desafio da Mestre, que era um desafio de rankeamento: aquela mesma coisa, enventavam uma palavra que não existia, a pessoa tinha que posicionar aquela palavra ate o dia tal e quem estivesse em primeiro ganhava. Se eu não me engando, no ano de 2013 ou 2012, quem ganhou foi o Guga e ele apresentou, acho que foi no Search Masters de 2013, ele palestrou e mostrou o case. Então ele fez o teste tanto com o site dele do desafio quanto com um outro site onde ele simulava manualmente a visita, Ele falou que ia no wi-fi do Mc Donalds, no Wi-Fi do vizinho e foi fazendo busca e clique, busca e clique. Ele ganhou o desafio unica e exclusivamente fazendo isso e ele mostrou um outro site onde ele tirou um resultado, estava la na trigésima pagina e trouxe ele para a primeira pagina só fazendo isso. Então esse teste deu certo, do Guga funcionou. Também vou colocar o meu teste que eu fiz no desafio Darkentopolis. Eu estava em sexto, acho, poucos dias antes do final, talvez no dia ou em um dia antes do final, eu ainda não estava muito bem posicionado. O que eu fiz no final foram duas ações: uma delas eu já descartei, foi uma ação que eu já fiz em outros e não deu certo, fiz um backlink do Google Groups para o meu site, não sei se foi isso, por que já fiz em outros casos e não funcionou, mas o que eu fiz muito no final do desafio foi o que: simulei o CTR usando uma estrategia com o 3G do celular. O que eu fazia: eu colocava o celular no modo avião, tirava do modo avião, ele trocava o IP, eu fazia a busca no celular e clicava, e eu fazia isso por varias horas. Então, eu gerei um CTR absurdo que foi perceptível la no Search Console e eu pulei realmente para a primeira posição, travei ali em primeiro durante aquele tempo.

Então de quatro testes que eu poderia citar, apenas um não deu certo e os outros três deram. Eu tenho também outras experiencias em sites de clientes onde eu percebi que o CTR teve uma efetividade muito boa. Então na minha opinião o CTR é um fator de rankeamento, sim, e para uma grande parte dos especialistas também é.

Agora eu vou falar de UX. UX talvez seja o tópico mais polemico aqui, e não é só polemico para a gente mas também fora, por que existe muitas duvidas com relação a como o Google vai fazer para medir a experiência do usuário. Vamos la: o que a gente tem de concreto hoje? Durante o SMX, na Austrália, do ano passado, o Gary respondeu o Twitte de uma pessoa que perguntou exatamente isso: se UX era fator de rankeamento. A resposta dele foi a seguinte: para o algoritmo mobile, um algoritmo que agora funciona para o mobile, ele é fator de rankeamento, por que a base desse algoritmo, segundo ele, é a experiencia do usuário, mas para as buscas do desktop não, a UX não é fator de rankeamento. Depois eu vou colocar ai um link desse twette dele para vocês verem. Vamos la, vamos separar o que ele disse. UX, a pergunta foi essa, ela não detalhou quais seriam os sinais de UX, vou dividir isso em duas coisas: fatores que são perceptíveis pelo crawler e fatores que não são perceptíveis pelo crawler. Exemplo: O que é um fator de UX perceptível pelo crawler? Aqueles fatores que geralmente ate aquele speed test já da para a gente quando as letras são muito perto, quando o menu não esta adequado. São coisas que o crawler consegue gerar e identificar e dizer se a experiencia do usuário vai ser boa ou não, então não foi a experiencia do usuário trafegando no site que mostrou isso para o Google, foi o próprio crawler. Exemplo: o crawler mostrou que as letras estão muito próximas, que não da para ler, então o Google já sabe que a experiencia do usuário vai ser ruim. Mas aquelas que são relacionadas a comportamento? quanto tempo a pessoa passa no site? quanto tempo ela demora para voltar? Existe muita polemica envolta disso, desses fatores de UX baseados em comportamento do usuário. O que o pessoal tem estudado muito? Existe uma coisa que o pessoal chama la de fora de short click e long click. O que seria isso? o clique longo e o clique curto. O longo seria: a pessoa fez uma busca, clicou num resultado, entrou no site, ficou por um longo tempo dentro dele e depois retornou para a SERP, ou as vezes nem retornou. Ou aquela pessoa que fez essa mesma ação: fez a busca, clicou no resultado, entrou no site e em pouco tempo retornou para a SERP, isso seria um short click. Existe uma leva de profissionais que dizem que o Google avalia o short click e o long click. Ai vem a pergunta de como ele faz isso. Também existe a ideia, não confirmada, de que o Google vem fazendo isso através do chrome e através do android. Por que isso se tornou uma tendencia um pouco mais forte? Por que quando o Gary disse que esses fatores de UX eram importantes principalmente para a questão mobile, a gente pode pode entender que hoje, pela quantidade de usuários que tem android, muito da pra ter uma mostragem muito boa de comportamento do usuário através do android. Pode ser que o Google esteja medindo comportamento do usuário através do android e do chrome. Mas uma vez, o Google já deixou claro varias vezes que não usam o analytics para isso, também acredito que isso não faria muito sentido. Se quiser acreditar acredite, se não, nao acredite, mas eles oficialmente dizem que não usam. Então, esses são as polemicas com relação a isso. O que mais gera polemica? Já existiu muita discussão la fora sobre o fato da pessoa dizer que se o short click é um fator ruim de experiencia do usuário facilmente nos poderíamos atacar um site concorrente com short clicks. A gente poderia configurar um bot que faria de novo aquela questão da busca toda, mas entraria e retornaria para a SERP, então a gente atacaria um site com short click e derrubaria ele da SERP. Ate onde eu sei, não existe nenhum estudo conhecido que foi conduzido para ver qual impacto nos rankings da UX dizendo do comportamento do usuário, não conheço nenhum estudo la fora e nem aqui no Brasil serio que foi conduzido para mostrar que isso afetava diretamente. A gente tende a acreditar que sim, o Google vai utilizar isso, por que seria um fator muito forte, mas existe muita discussão sobre isso. Um exemplo: existe uma discussão muito grande sobre os comparadores de preço, a pessoa vai, compara de forma relativamente rápida e já da um clique e sai. Então o comparador de preço pode estar fazendo bem o trabalho dele mas recebem um short click, que a pessoa já vai embora para outro site da loja que comparou preços e esse tipo de coisa. Então, existe muita discussão, muita polemica envolta disso, mas o bom é a gente ir discutindo, falando que uma hora a gente vai chegar num acordo sobre isso ou talvez o Google se pronuncie. Hoje o que eu tinha pra falar sobre essas questões relacionadas é esses dois fatores de rankeamento, que é o CTR e a UX. Depois, comentem e a gente pode continuar estudando sobre isso. Ta bom? Queria agradecer aos feedbacks que eu tenho recebido do pessoal nos videos, eu me mato para continuar e não sou o senhor da razão, to aberto para qualquer discussão a respeito disso. Então, obrigada e boa noite!

As opiniões e informação contidas neste post não necessariamente refletem a opinião do Search News Brasil, mas sim do autor convidado citado abaixo.

Rafael de Souza

Rafael de Souza

Meu nome é Rafael Faria de Souza, tenho formação em administração de empresas e tecnologia em sistemas para internet, atuo na área de tecnologia e internet desde 2005.Iniciei meus trabalhos na área com desenvolvimento de sites e em seguida me aprofundei nos estudos de links patrocinados e SEO.

Mais artigos - Website

Siga-me:
Facebook

Share:

Leave a reply

Não vá embora sem curtir nossa fanpage!

Receba as notícias mais quentes do mercado de Search Marketing e Facebook Ads.